Postagens

Mostrando postagens de 2019

TEMPO OUTRO ESPAÇO OUTRO ROSTO: MEDITAÇÕES CURTAS (Marcos Inhauser Soriano)

Imagem
Sentia-se assim desde sempre, desprezado pelo Mundo, vítima de injustiças alheias - um “não desejado” de todas as formas possíveis de se imaginar. Não entendia o porquê de sua postura, sempre prestativa e bondosa, incomodar tanto os outros ao ponto de estrangular, em uma angústia aterrorizante, seu lugar de sujeito no Mundo - ele era o que se assujeitava. Um desastre na fatia das relações afetivas que compõe a vida. Um desastre na fatia funcional que sustenta o ganho para se viver decentemente, para além da profunda pobreza material que o mantém na escória. Ao lugar de pária, o corpo responde e acomoda-se como pária, em um insignificante fisiológico onde tudo falha. E chega assim, como sempre, com uma estranha e irritante simpatia estampada no rosto – o Rosto, aqui tomado como análogo, inscreve o Destino.
Usemos o Desprezo como base/tema ilustrativo desta costura.
Quem faz o Rosto que define o que é feito? Pensemos assim: o que temos são “representações”, o material bruto com o qual lidam…

ENCONTRO LER & ESCREVER: ESBOÇO DE ESQUIZOANÁLISE

Imagem
Prezados Leitores
É com muita satisfação que convidamos para, no próximo dia 02/nov/2019, sábado, das 15h às 18h, o IX Encontro “LER & ESCREVER”, promovido pela REVISTA VÓRTICE DE PSICANÁLISE. O tema do Encontro será “ESBOÇO DE ESQUIZOANÁLISE”. Neste Encontro teremos, como ponto de partida da discussão, a apresentação do tema por Juan Salazar.
“Se a psicanálise conceitualiza a psicose através de sua visão da neurose, a esquizoanálise abordará todas as modalidades de subjetivação à luz do modo de ser da psicose. É em "O anti-Édipo" de Deleuze e Guattari (1972), que se inaugura o termo esquizoanálise, induzindo não unicamente à uma prática clínica ou teoria claramente circunscritas, mas principalmente à uma maquinaria que reconhece a produção desejante como algo imanente, não-representativa e diretamente investida no social - ou seja, para fora do sujeito, não-una, mas múltipla. Explode-se a genealogia edípica da psicanálise e denuncia-se as capturas capitalísticas do desejo. …

NOTÓRIOS DA PSICANÁLISE: ERNST WILHELM VON BRÜCKE

Imagem
ERNST WILHELM VON BRÜCKE, médico e fisiologista alemão, nasceu em Berlim a 6 de junho de 1819 e morreu em Viena a 7 de janeiro de 1892. Filho de um retratista que pintava igualmente cenas históricas, foi criado em Stralsund, após a morte prematura de sua mãe, no lar de seu tio, o superintendente C. Droysen. Aí fez seus estudos secundários. O curso de Medicina foi realizado em Berlim e Heidelberg a partir de 1838 e ele recebeu o diploma de Doutor em Medicina em Berlim em 1842. Assistente em 1843 de Johannes Peter Müller no Museu de Anatomia Comparada e, ao mesmo tempo, preparador das dissecações para o Museu, ele ocupou também, a partir de 1846, as funções de professor de anatomia na Academia de Belas-Artes de Berlim. Brücke habilitou-se em 1844 à docência em fisiologia, sendo nomeado, em 1848, professor extraordinário de fisiologia, patologia geral e psicologia em Königsberg; em 1849 é convidado como professor de fisiologia, de anatomia (microscópica) e de psicologia para Viena, onde oc…

A CURA (Diego Tiscar)

Imagem
Querer ser fiel a um louco é deixar louco o próprio dever.” (Shakespeare)
Maldita, mil vezes maldita! É assim que grande parte dos analistas se refere a ideia de cura. Mas afinal o que significa curar alguém? Identificar sinais e sintomas de uma moléstia e transformá-los? Determinar um padrão e induzir o enfermo a ele? Traçar uma linha divisória entre saudável e loucura? Nesse caso: maldita cura, mil vezes maldita. O inverso também deve ser considerado: por que um paciente me procura, se não para se ver curado do que o aflige? A ideia de aceitação incondicional das heterogeneidades é bela e necessária, mas, por si só, não aplaca o sofrimento. Curar é preciso? Um sofredor diria que sim! Não se cura um apaixonado da mesma forma que se cura um neurótico obsessivo, mesmo que ambos os quadros se assemelhem. E poucas condições humanas são mais devastadoras que as paixões. Freud - sempre ele -, sabia a dor de uma patologia e a dor do julgamento sobre a mesma. Acompanhando suas histéricas, as qu…

CINE VÓRTICE

Imagem
A REVISTA VÓRTICE DE PSICANÁLISE tem o prazer de convidar para mais uma edição do CINE VÓRTICE. No evento, será exibido o filme "POSSESSION" (Andrzej Zulawski, França/Alemanha, 1981). Após a exibição será aberta uma pequena discussão sobre o filme.
Data: 13/jul/2019, das 14h às 18h. Local: Rua Apeninos, 681 – Paraíso, São Paulo/SP.
A sessão terá início, impreterivelmente, às 14h15min.
As inscrições devem ser feitas até o dia 12/jul através do E-mail da REVISTA, informando nome completo (revistavortice@terra.com.br). Só poderão participar do evento as pessoas previamente inscritas, pois haverá uma “lista de presença”. As inscrições estão limitadas a um número de 25 pessoas.

SINOPSE & FICHA TÉCNICA “POSSESSION” é um filme franco-alemão de 1981, dirigido por Andrzej Zulawski. Após retornar de uma longa viagem, tudo que Marc quer é encontrar sua esposa Anna e seu filho novamente. No entanto, assim que chega a Berlim, Marc percebe que Anna mudou radicalmente de comportamento e, assim…

NOTÓRIOS DA PSICANÁLISE: ERNST LANZER

Imagem
ERNST LANZER, jurista austríaco, paciente de Freud, nasceu em Viena, em 22 de janeiro de 1878, e morreu na Rússia, em 1918. O Dr. Ernst Lanzer é muito mais conhecido sob o pseudônimo de “O Homem dos Ratos” que lhe deu Freud e sob o de Dr. Lorenz que lhe deu Strachey. Sua mãe, Rosa Herlinger, nascida em 1844, e seu pai, Heinrich, nascido em 1825 (Freud e o Homem dos Ratos tinham em comum ser filhos de pais em idade de serem seus avós), vinham da Silésia. Tiveram sete filhos:Hedwig (Hilde nos escritos de Freud), nascida em 1870; Camilla (Katherine), em 1872; Rosalie (Constanze), em 1874; Robert (Hans), nascido em 1879; Olga (Julie), nascida em 1880; e Gertrude (Gerda), em 1886. As mortes de Camilla em 1881, de seu pai em 1899 e de sua tia em 1901 tiveram numerosas repercussões imediatas e ao longo prazo sobre a vida privada e profissional do Homem dos Ratos. Em 1897, Ernst Lanzer inscreveu-se na Faculdade de Direito da Universidade de Viena, mas só conseguiu terminar o curso dez anos depoi…

EDITORIAL ANO X

A REVISTA VÓRTICE DE PSICANÁLISE completa em março seu décimo ano de existência. O CORPO EDITORAL gostaria de parabenizar a todos pelo esforço e pela participação nesta empreitada psicanalítica. Desde FREUD, percebemos a importância da LEITURA e da ESCRITA para o desenvolvimento da Psicanálise. Com seus precisos levantamentos bibliográficos nos Artigos Teóricos, bem como na arte de sua escrita, ora romanceada nos Historiais Clínicos, ora metodologicamente perfeita nos Artigos Técnicos, FREUD nos deixou esse legado e essa deliciosa obrigação: LER e ESCREVER. Em 1925, escreve FREUD, incansável: “É quase humilhante que, após trabalharmos por tanto tempo, ainda estejamos tendo dificuldade para compreender os fatos mais fundamentais. Mas decidimos nada simplificar e nada ocultar. Se não conseguirmos ver as coisas claramente, pelo menos veremos claramente quais são as obscuridades”. Ficamos, portanto, com esse desafio: perpetuar a LEITURA e a ESCRITA. Uma LEITURA e uma ESCRITA que permitam um d…

CINE VÓRTICE

Imagem
A REVISTA VÓRTICE DE PSICANÁLISE tem o prazer de convidar para mais uma edição do CINE VÓRTICE. No evento, será exibido o filme "ALPHAVILLE, UNE ÉTRANGE AVENTURE DE LEMMY CAUTION" (Jean-Luc Godard, França/Itália, 1965). Após a exibição será aberta uma pequena discussão sobre o filme.
Data: 16/mar/2019, das 14h às 17h. Local: Rua Apeninos, 681 – Paraíso, São Paulo/SP.
A sessão terá início, impreterivelmente, às 14h15min.
As inscrições devem ser feitas até o dia 15/mar através do E-mail da REVISTA, informando nome completo (revistavortice@terra.com.br). Só poderão participar do evento as pessoas previamente inscritas, pois haverá uma “lista de presença”. As inscrições estão limitadas a um número de 25 pessoas.
SINOPSE & FICHA TÉCNICA “ALPHAVILLE, UNE ÉTRANGE AVENTURE DE LEMMY CAUTION” é um filme franco-italiano de 1965, dirigido por Jean-Luc Godard. O agente Lemmy Caution chega a Alphaville, com a missão de encontrar o professor Von Braun, o inventor, para convencê-lo a destruir a…