Postagens

Mostrando postagens de Junho, 2019

A CURA (Diego Tiscar)

Imagem
Querer ser fiel a um louco é deixar louco o próprio dever.” (Shakespeare)
Maldita, mil vezes maldita! É assim que grande parte dos analistas se refere a ideia de cura. Mas afinal o que significa curar alguém? Identificar sinais e sintomas de uma moléstia e transformá-los? Determinar um padrão e induzir o enfermo a ele? Traçar uma linha divisória entre saudável e loucura? Nesse caso: maldita cura, mil vezes maldita. O inverso também deve ser considerado: por que um paciente me procura, se não para se ver curado do que o aflige? A ideia de aceitação incondicional das heterogeneidades é bela e necessária, mas, por si só, não aplaca o sofrimento. Curar é preciso? Um sofredor diria que sim! Não se cura um apaixonado da mesma forma que se cura um neurótico obsessivo, mesmo que ambos os quadros se assemelhem. E poucas condições humanas são mais devastadoras que as paixões. Freud - sempre ele -, sabia a dor de uma patologia e a dor do julgamento sobre a mesma. Acompanhando suas histéricas, as qu…

CINE VÓRTICE

Imagem
A REVISTA VÓRTICE DE PSICANÁLISE tem o prazer de convidar para mais uma edição do CINE VÓRTICE. No evento, será exibido o filme "POSSESSION" (Andrzej Zulawski, França/Alemanha, 1981). Após a exibição será aberta uma pequena discussão sobre o filme.
Data: 13/jul/2019, das 14h às 18h. Local: Rua Apeninos, 681 – Paraíso, São Paulo/SP.
A sessão terá início, impreterivelmente, às 14h15min.
As inscrições devem ser feitas até o dia 12/jul através do E-mail da REVISTA, informando nome completo (revistavortice@terra.com.br). Só poderão participar do evento as pessoas previamente inscritas, pois haverá uma “lista de presença”. As inscrições estão limitadas a um número de 25 pessoas.

SINOPSE & FICHA TÉCNICA “POSSESSION” é um filme franco-alemão de 1981, dirigido por Andrzej Zulawski. Após retornar de uma longa viagem, tudo que Marc quer é encontrar sua esposa Anna e seu filho novamente. No entanto, assim que chega a Berlim, Marc percebe que Anna mudou radicalmente de comportamento e, assim…